Prefeitura de Valadares divulga dados LIRAa

O prefeito André Merlo divulgou na última terça-feira (21), durante treinamento para os agentes de endemias da Gerência de Zoonoses, os dados do último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). O levantamento aponta um índice de infestação de 5,6%, número preocupante, embora seja inferior ao registrado no mesmo período de 2016.

PUBLICIDADE: Dállyda Viana No Tempo de Deus

Este é o terceiro levantamento realizado no município em 2017. No primeiro semestre, Valadares apresentou um cenário alarmante, com infestação de 9,7%, considerada a mais alta dos últimos 11 anos, e uma consequente epidemia de doenças transmitidas pelo mosquito (dengue, zika e chikungunya), tendo sido notificados 13 mil casos.

Desde então, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), tem trabalhado com responsabilidade e foco em diversas frentes de enfrentamento e combate a essas arboviroses. Preparou toda a rede de serviços de saúde, com ampliação do atendimento, equipou e contratou profissionais capacitados para enfrentar e resolver esse tipo de situação.

         E ações de controle vetorial e mobilização social começam a dar resultados positivos. Já no 2° LIRAa, o índice caiu para 8,5%, e, no terceiro, mais este declínio. Se compararmos ao mesmo período do ano anterior, que marcava 7,9%, tivemos uma queda expressiva de dois pontos percentuais.

Segundo o prefeito André Merlo, esses dados revelam o compromisso, tanto da administração quanto dos agentes de endemias no combate ao mosquito. “Essa é uma situação que afeta todos nós. Todos corremos perigo, por isso, precisamos continuar com este envolvimento, esta parceria de trabalho sério, responsável e focado para diminuir cada vez mais este índice”, disse.

E é dando continuidade que este alinhamento técnico acontece para padronizar o trabalho das equipes no processo de controle do vetor. “Estamos nos preparando com esta ação de qualificação para a abordagem, que vai ser feita na próxima sazonalidade”, pontuou Rômulo Gusmão, empreendedor público do Núcleo de Gestão Estratégia e Saúde (NGEIS).

Para Viviane Carneiro, que é referência técnica em dengue da Secretaria de Estado da Saúde (SES), este é um desafio que só aumenta. “Antes, nós nos preocupávamos apenas com a dengue, que já era um grande problema. Hoje, temos zika e chikungunya, com sintomas e sequelas ainda desconhecidos, que exigem de todos uma mudança de pensamentos e atitudes para de fato combater o mosquito”, ressaltou Viviane.

Outro dado apontado pelo LIRAa é que grande parte dos focos do mosquito estão dentro das residências e entrar nessas casas tem sido um dos maiores desafios para os agentes.

Para Moisés Nunes Junior, que trabalha como agente de endemias desde 2011, momentos como este são de suma importância porque os desafios são muitos e diários. “Algumas pessoas não permitem nossa entrada nas casas. Pedimos que estas pessoas colaborem conosco, com nosso trabalho, que é para o bem coletivo”, comentou.

Moisés reforça ainda que estes treinamentos agregam conhecimento para os servidores. “Cada região da cidade tem sua característica e abordagem; e, em espaços como este, podemos trocar informações”.

As ações de governo vão continuar acontecendo para promover mais informação aos agentes e aos moradores, o que consequentemente vai gerar mais qualidade de vida para todos os valadarenses. É preciso seriedade e envolvimento de todos na luta de combate ao mosquito.

O evento contou ainda com a presença do secretário de Saúde, médico Ruy Moreira, do secretário de Comunicação e Mobilização Social, David Barroso, da secretária adjunta de Saúde, Sheila Furbino, da diretora do Núcleo de Gestão Estratégica e Inovação em Saúde (NGEIS), Eliane Nobre, da chefe de gabinete, Sophia Merlo, e do vereador Antônio Carlos.

Números 3° LIRAa

O monitoramento do 3° LIRAa mostrou que grande parte dos focos do mosquito continuam dentro das casas: os ralos lideram (41%), sendo seguidos pelos reservatórios de água no chão (32,8%), dos pratos dos vasos de plantas (15,1%), lixo (3,9%), em caixas d’água (3,6%), em pneus (0,9%) e nas bromélias (2,1%), índices que ressaltam a importância da população no combate.

Outro dado importante apresentado é que nos bairros onde houve maior incidência de focos também ocorreu uma redução: os 13 estratos do LIRAa contemplam monitoramento de 88 bairros da cidade.

Destes, os que mais se destacam são os do estrato 1 (Nova Vila Bretas, Mãe de Deus, Santo Antônio, Altinópolis), 9 (Vila Império, Palmeiras, Jardim Pérola, Kennedy, Bela Vista, Fraternidade, Vila Ozanan, São José, Nossa Senhora de Fátima, Parque Olímpico) e 11 (Vila Isa, São Raimundo, Vera Cruz, Asteca, Vila Parque Ibituruna, Elvamar, Vilage da Serra, Jardim Primavera, Vila Ricardão, Jardim Alvorada).

No estrato 1, se compararmos a análise do primeiro LIRAa com este último, houve uma redução de 8,6% nos índices de infestação; caiu de 12,4% para 4,0%. Já no extrato 9, se comparado aos dois levantamentos anteriores com o atual, caiu de 15,7% para 6,3%; e, no extrato 11, houve redução de 12,4% para 6,10% do primeiro para o último levantamento.

Os números deste 3° LIRAa mostram que as ações desenvolvidas pela Prefeitura estão no caminho certo e surtindo efeito. E, ainda, que as visitas diárias dos agentes de endemias, de orientação e fiscalização, o uso do fumacê em alguns bairros, a mobilização social com associações de bairros, lideranças religiosas, instituições da cidade e escolas, estão modificando a realidade do município. Mostram, principalmente, que precisamos continuar porque ainda estamos muito acima do 1% preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Agentes de endemias passam por treinamento prático

Os agentes de endemias da Gerência de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) participaram, na tarde desta terça-feira (20), das atividades práticas que fazem parte do treinamento oferecido por meio do “Workshop de Controle Vetorial”.

         Divididos em equipes e em quatro locais diferentes (Policlínica, Departamento de Vigilância em Saúde, auditório do Polo da Universidade Aberta do Brasil e auditório da E. E. Prefeito Joaquim Pedro Nascimento) cada grupo de servidores, de acordo com sua área de atuação, pôde dentro dessas oficinas dinâmicas, colocar temas relevantes em pauta para melhorar todo o processo de trabalho das equipes.

FONTESecom / PMGV
COMPARTILHAR
Redação
Como maior ouvidoria popular de Governador Valadares, o Programa Valadares na TV se destaca por levar informação e conteúdo exclusivo de problemas e assuntos de nossa cidade.

Comentários no Facebook