• Início
  • Brasil
  • Lula recebe primeira visita na carceragem da Polícia Federal em Curitiba
Brasil Política

Lula recebe primeira visita na carceragem da Polícia Federal em Curitiba

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta quinta-feira (12), na carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba, a visita de parentes. Os filhos Fábio Luís Lula da Silva, Luís Claudio e Lurian e o neto Thiago fizeram a primeira visita ao ex-presidente desde que ele foi preso, no dia 7 deste mês, em São Bernardo do Campo (SP). O advogado do político, Cristiano Zanin Martins, acompanhou o grupo.

Do lado de fora, grupos que permanecem em vigília pedindo a libertação de Lula fizeram debates e receberam parlamentares do PT, entre os quais os deputados Carlos Zarattini (SP) e Henrique Fontana (RS). Ainda para hoje está prevista a realização de um ato com a participação da presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR).

Dirigentes do PT criticam as condições em que o ex-presidente está preso, principalmente a dificuldade de visitar Lula. Na terça-feira (10), a 13ª Vara Federal de Curitiba negou autorização para a entrada de nove-governadores e três senadores na carceragem para uma visita ao ex-presidente.

Diligência

Ontem (11) a Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou requerimento da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) para realização de diligência sobre as condições de encarceramento do ex-presidente e dos demais presos na PF na capital paranaense. O pedido será formalizado à direção da unidade.

Na Câmara dos Deputados, cinco partidos – PT, PSB, PDT, PCdoB e PSOL – pediram na terça-feira (10) a criação de uma comissão externa para acompanhar a situação de Lula na prisão. Segundo a proposta, não haveria custos para a Casa. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ainda não respondeu.

Nota da PF

Também ontem, a Polícia Federal divulgou nota afirmando que os procedimentos relativos à custódia de Lula “são os mesmos aplicados aos demais custodiados, salvo exceções específicas autorizadas pelo Juízo da 12ª Vara Federal de Curitiba”. Esta é a vara responsável pelas execuções penais. A nota acrescenta que o espaço em separado para o ex-presidente foi determinado por Sérgio Moro, responsável pelo processo.

De acordo com o texto, não foi aprovado “qualquer outro benefício que não se aplique aos demais custodiados que se encontram atualmente na unidade policial”. Além disso, apenas os servidores envolvidos com a segurança do ex-presidente têm contato com ele, os direitos estão sendo cumpridos e a defesa sabe da situação de Lula, acrescenta a nota.

TRF

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região negou embargos da defesa de Lula no habeas corpus que pedia a inclusão da oitiva com o advogado Tacla Duran no processo sobre a propriedade de imóveis em São Bernardo do Campo (SP). Tal processo é diferente daquele que resultou na condenação e prisão do ex-presidente, que envolve um apartamento no Guarujá, litoral paulista.

A defesa apontava contradições na análise do habeas corpus, que não negado antes do julgamento do mérito. Os advogados também questionavam o fato não terem sido consideradas informações prestadas pela JBS na comissão parlamentar de inquérito (CPI) criada para apurar denúncias de favorecimento à empresa e a políticos. O desembargador João Pedro Gebran Neto disse que não cabia ao tribunal entrar no exame de provas nesta etapa do processo.

Notícias Relacionadas

Polícia Federal encontra laços do PCC com esfaqueador de Bolsonaro, diz jornal

Redação

O PT já deu como perdido o 2º turno e está se ‘lixando’ para Haddad, diz Cid Gomes

Redação

Programa eleitoral de Bolsonaro na TV acusa PT de levar país “à beira do abismo”

Redação

Comentários no Facebook

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais