Campeonato Brasileiro Esporte Futebol

Galo goleia o Fluminense e chega à vice-liderança do Brasileiro

Uma conhecida música de arquibancada foi o lema do Atlético na partida contra o Fluminense, na tarde deste domingo, no estádio Independência, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro: “o Galo é o time da virada. O Galo é o time do Amor”. Jogando diante de sua torcida a equipe alvinegra virou de forma avassaladora para cima do Tricolor Carioca, venceu por 5 a 2, e chegou à vice-liderança do Brasileirão.

Os gols do Atlético foram marcados por Leonardo Silva, Roger Guedes (2), Tomas Andrade e Ricardo Oliveira, com Gilberto e Pedro descontando para o Fluminense.

O próximo compromisso, e último do Galo antes da parada da Copa do Mundo, está marcado para esta quarta-feira, às 21h45, contra o Ceará, também no Independência. O Tricolor do Rio de Janeiro recebe o Santos às 19h, no Maracanã.

O Jogo

Sem Thiago Larghi no banco de reservas, já que o técnico interino cumpriu suspensão automática – pela expulsão na vitória por 3 a 1 sobre o América -, o Atlético precisou mostrar poder de reação contra o Fluminense. O Tricolor abriu o placar aos 28 minutos com o lateral-esquerdo Gilberto, que cabeceou meio sem jeito, a bola ganhou altura, e ficou fora do alcance do goleiro Victor na sequência de um escanteio: 1 a 0.

Cinco minutos depois o Atlético esboçou o gol, com Leonardo Silva acertando o travessão de Júlio César, aproveitando cobrança de escanteio de Cazares.

Aos 34 minutos, o zagueiro artilheiro do Galo guardou o dele. Patric cruzou na área, Léo Silva dominou e afundou o goleiro do Flu: 1 a 1.

O Fluminense tentou assustar, mas o zagueiro Luan Peres chutou por cima do gol. Roger Guedes foi mais feliz e aos 45 minutos fez o primeiro vira alvinegro. O atacante recebeu dentro da área e com um belo chute colocado acertou o ângulo: 2 a 1.

E quando tudo indicava que o Galo iria para o intervalo com a vantagem no placar, Patric falhou feio, entregou a bola para Pedro, uma das joias do Fluminense, que empatou a partida aos 48 minutos da etapa inicial: 2 a 2. Placar do primeiro tempo.

No segundo tempo o Galo “passou o carro” no Fluminense, que até começou assustando primeiro aos 3 minutos, mas Pedro desperdiçou a chance.

Quem não deu mole na cara do gol foi o argentino Tomas Andrade, que tentou duas vezes antes de balançar a rede pela segunda vez na carreira. No primeiro lance o gringo por pouco não marcou. O goleiro do Fluminense contou com uma sorte danada, já que o chute do atleticano acertou a trave e a bola caprichosamente bateu no tornozelo de Julio César e não entrou.

Na segunda chance, aos 18 minutos, Tomás Andrade, de perna direita – a que não é a boa- enfim marcou o terceiro do Galo na tarde: 3 a 2.

O grande nome do Fluminense, Pedro, tentava de qualquer jeito marcar o segundo gol no jogo, mas ficava apenas nas tentativas. Enquanto o ataque carioca não regulava, o do Atlético era só alegria.

No jogo de número 650 na carreira, Ricardo Oliveira marcou um golaço de falta, chutando da intermediária, sem chance para Julio César: 4 a 2. E a máquina de gols alvinegra ainda marcou mais um pelos pés de Roger Guedes, que vive uma situação de possível saída do clube. O Palmeiras tem propostas de clubes árabes e do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, pelo jogador.

Aos 49 minutos, o “Diabo Louro” do Galo fechou a conta. Roger Guedes deixou a zaga tricolor no chão, e fez o quinto gol alvinegro na noite: 5 a 2 e o Galo sendo o vice-líder do Brasileirão, pelo menos até a última rodada antes da parada da Copa do Mundo.

Notícias Relacionadas

Larghi avalia que placar não refletiu história do jogo

Redação

Com gols de Sassá e Raniel, Cruzeiro vence o Santos de virada

Redação

Cruzeiro reafirma sua supremacia na Copa do Brasil

Redação

Comentários no Facebook

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais